Superando a adolescência juntos: um guia empático para os pais

foto do autor

Por Mary Dubois

Adolescência, isso período crucial entre a infância e a idade adulta, é muitas vezes comparada a uma travessia tumultuada no mar. Os pais, tal como os adolescentes, são por vezes abalados pelas ondas de emoções, mudanças e desafios que surgem subitamente. Ainda me lembro da primeira vez que minha filha, então com 14 anos, bateu a porta do quarto, deixando para trás o cheiro deincompreensão mútua. Fiquei perplexo com esse comportamento que não esperava, me perguntando se estava fazendo algo errado.

Navegando nas águas mutáveis da adolescência

A primeira coisa a perceber, como pai, é que a adolescência é um momento de profunda transformação. O corpo muda, os hormônios flutuam e o próprio cérebro passa por um grande reorganização. Experiência de adolescentes convulsões emocionais e questões de identidade que podem levá-los a sentir-se incompreendidos, isolados ou em conflito permanente. A boa notícia é que essas transformações são normais e que com ferramentas apropriadas, os pais podem ajudar seus filhos a navegar nessas águas agitadas.

É essencial começar com entenda a origem dessas crises. Os adolescentes procuram estabelecer a sua independência, descobrir quem são fora do casulo familiar. Porém, essa busca pode estar repleta de confusão e frustração, pois nem sempre sabem expressar suas necessidades ou emoções. Minha filha costumava raiva sem motivo aparente. Foi só depois de várias discussões abertas que percebemos que ela estava estressada por sua resultados escolares e a pressão social.

Leia também:  Treinamento de toalete: como ter sucesso?

guia da adolescência

Promova a escuta e a comunicação

Um dos pilares apoio parental durante a adolescência é a escuta ativa. Os adolescentes precisam se sentir ouvidos e compreendidos sem julgamento. Isso envolve desligar o telefone, desligar a televisão e sintonizar. atenção total para o seu filho quando ele abrir. Quando minha filha finalmente decidiu falar comigo sobre suas preocupações, fiz o possível para ouvir sem interromper, oferecendo apenas palavras de conforto e encorajamento. Pode parecer simples, mas a qualidade dessa escuta abriu portas para conversas mais profundas posteriormente.

É também essencial adoptar uma linguagem acrítica. Os adolescentes são sensíveis a comentários que podem parecer acusatórios ou condescendentes. Em vez de dizer: “Você nunca faz sua lição de casa na hora certa”, tente: “Percebi que você parece estressado com sua lição de casa”. Como posso ajudá-lo ? ". Essa abordagem mostra que você está lá para apoiar, não para julgar.

Mantenha limites de cuidado

Adolescência não significafalta de regras, mas sim um ajuste dos limites para respeitar a desejo crescente de independência. Os adolescentes muitas vezes testam limites, não necessariamente para desafiar a autoridade, mas para compreender a sua própria liberdade. Quando meu filho começou a pedir mais noites fora, percebi que precisava encontrar um equilíbrio entre proteção e liberdade. Em vez de proibições definitivas, juntos estabelecemos prazos de retorno razoáveis e discutimos as consequências das violações.

Os limites devem ser claros, consistentes e explicados. Impor uma regra sem explicação pode ser visto como arbitrário. Quando um adolescente entende o raciocínio por trás de um limite (como a importância de dormir o suficiente para ter sucesso na escola), é mais provável que ele o respeite.

Leia também:  Educação benevolente, a alternativa positiva à punição

Cultive a autoestima

Os adolescentes são particularmente vulneráveis a comparações sociais e dúvidas sobre si mesmos. Incentivar uma autoimagem positiva é fundamental para ajudá-los a navegar neste momento. Isto pode ser feito por reconhecendo seus esforços e sucessos, por menores que sejam. Lembro-me do meu filho, que tinha dificuldades nas aulas de matemática, mas se destacava no desenho. Em vez de focar nas suas deficiências matemáticas, encorajei-o a prosseguir a sua paixão pela arte, o que fortaleceu a sua fé nele.

Endossar as paixões e interesses de seu filho, seja esporte, arte ou ciência, pode dar-lhe uma sensação de realização e uma saída positiva.

Superação-adolescência

Seja um modelo de resiliência

Os adolescentes aprendem muito observando os adultos ao seu redor. Mostre-lhes como lidar com o estresse, resolver conflitos e enfrentar desafios com resiliência. Se você cometer erros (e cometerá), reconheça-os e mostre como você aprende com eles. No dia em que esqueci uma promessa feita à minha filha, pedi desculpas e conversamos abertamente sobre isso. Fortaleceu nosso relacionamento e mostrou a ele que nem os pais são perfeitos.

Procure ajuda se necessário

Às vezes, apesar dos nossos melhores esforços, a situação pode ficar fora de controle. Problemas comportamentais, depressão ou ansiedade requerem ajuda profissional. Os pais não devem hesitar em procurar um suporte externo se o adolescente deles mostrar sinais de angústia persistente. Não há vergonha em pedir ajuda a um terapeuta familiar ou um conselheiro escolar.

Leia também:  Como cultivar um ambiente benéfico para as crianças: educação positiva

Lembro-me de uma amiga que, após meses de constantes desentendimentos com o filho, decidiu consultar um psicólogo de família. Esta abordagem não só ajudou o filho a gerir melhor as suas emoções, mas também permitiu que toda a família comunicar de forma mais eficaz.

O segredo: amor, paciência e apoio

Em última análise, a adolescência é uma tempestade que eventualmente se acalma. Crises, discussões e mal-entendidos fazem parte do processo. Mas com amor, paciência e apoio, os pais podem ajudar os seus filhos a ultrapassar este momento e a emergirem mais fortes e unidos.

A chave está em permanecer presente, mesmo quando as portas batem e as palavras ultrapassam os pensamentos. Seja a âncora estável no a tempestade interior do seu adolescente. E lembre-se, assim como as ondas, as crises sempre diminuem. Um dia, minha filha saiu do quarto e disse: “Pai, acho que fui um pouco duro com você mais cedo”. É nestes momentos de reconexão que percebemos que, apesar da turbulência, o barco da família continua na direção certa.

Deixe um comentário